Histórias de um colecionador - Raul Estigarribia

Histórias de um colecionador - Raul Estigarribia

"Meu interesse pelos quadrinhos começou aos 5 anos quando folheava um exemplar do Pato Donald.  Aos 6 já sabia ler, incentivado pela minha mãe usando as aventuras do Pato briguento como cartilha.

Vale lembrar que os gibis não eram bem vistos pela sociedade dos anos 50/60, sendo considerados por muitos como alienantes e propaganda do capitalismo americano.  
Meus pais compravam mensalmente as revistas do Tarzan, MANDRAKE , Fantasma, As Aventuras do Anjo, Jerônimo O Herói do Sertão, Robin Hood, Águia Negra etc. A maioria se perdeu nas mudanças que foram constantes durante muito tempo em nossa vida. No final dos anos 90 comecei uma caça ao tesouro e essas Coleções que estão quase completas novamente. 
Foi uma época maravilhosa onde nossa imaginação voava junto com nossos heróis das HQs (A TV era um sonho distante, pois só chegou na nossa casa quando eu tinha uns 10 anos).  
Minha 1a coleção começou com o número 01 do Almanaque Tio Patinhas adquirido em 1963 com o dinheiro da minha merenda. A partir daí se somaram outros títulos como Mickey, Pato Donald, Tarzan, Mandrake, Fantasma, O Guri, Edição Maravilhosa, Epopéia, os gibis de Mocinho como chamávamos (Gene Autry, Roy Rogers, Zorro). Na década de 60, o auge das HQs: Homem-Aranha, A Maior, Super X, Capitão Z e etc.
Início da década de 70, a Vecchi começou a publicar o Tex, cujo primeiro número adquiri na banca e lamentávelmente não quis ficar com o arco e flecha que vinha junto com o exemplar (achei muito pobre o brinde). Brinde esse que se tornaria uma lenda entre os aficcionados do Ranger.
Possuo hoje mais de 20 mil gibis, sendo uma quarta parte publicações Disney (é pouco perto de alguns colecionadores que tem mais de 200 mil) e continuo prospectando em todo o Brasil as peças que faltam em minhas coleções. 
 
O aspecto mais excitante do Colecionismo é justamente a garimpagem seja na internet, na visita a sebos ou nos Grupos de Whats que são muitos.
Não existem limites para um Colecionador.
Faltou espaço? Compra-se um local para armazenagem como foi o meu caso. Adquiri uma casa em frente a minha residência para uso como escritório e para abrigar minha Gibiteca (sonho antigo de menino).
Tem algum evento envolvendo Quadrinhos? Lá vamos nós em busca de gibis e claro confraternizar com os amigos que conosco dividem essa paixão.
 
Somos nostálgicos, acumuladores, excêntricos?  Talvez um pouco de cada coisa, porém o certo é que através das páginas desses gibis, viajamos pelo UNIVERSO conhecido e desconhecido, exercitando nossa imaginação e sonhando junto com nossos heróis a busca da paz e felicidade.
 
Fico feliz em ver que a Culturama está dando continuidade ao legado da Abril! Embora prefira as estórias antigas principalmente do Carl Barks e Don Rosa,  sei que para atrair as novas gerações há a necessidade de outras abordagens. Continuarei prestigiando o Rato e os Patos pois foram importantes na minha formação pessoal, assim como muitos outros personagens antigos de HQs que ajudaram a forjar meu caráter.
 
Vida longa à Culturama e à Disney!
Fraterno abraço a todos."
 
Texto por Raul Estigarribia