Histórias de um Colecionador - Cristina Defensor Macedo

Histórias de um Colecionador - Cristina Defensor Macedo
Meu nome é Cristina Defensor Macedo, mas nas redes todos me conhecem como Cris.

Minha história com os quadrinhos Disney começou ainda criança, na década de 1980. Com seis anos de idade já sabia ler e, além das HQ's, também assistia aos desenhos Disney (Pato Donald e afins) que sempre passavam na TV.

Meu pai comprava as revistas em quadrinhos uma vez ao mês, dentre elas Almanaques, formatinhos do Pato Donald, Zé Carioca, Mickey, etc., preferidos meus e de meu irmão, e Peninha, o favorito da minha mãe. Também líamos Ursinho Pooh esporadicamente. O debate entre eu e meu irmão por quem leria primeiro as HQ's do Pato Donald era acirrado, pois as disputávamos com muito afinco. É o personagem que mais gostamos até hoje (sempre brinco com meus amigos dizendo que o Pato Donald é o meu alter ego - risos). Líamos e relíamos todas as revistas até chegar o próximo mês e termos HQ's novas. Ir à banca para escolher as HQ's era uma verdadeira festa, um dos momentos em família mais felizes que tínhamos naquela época (final da década de 80). Nessa época, não tínhamos o hábito de colecionar. Doávamos os quadrinhos aos amigos, colegas da escola.

Com o passar dos anos continuei a leitura, mas o interesse pelo colecionismo surgiu um pouco mais tarde, em 1999, quando ingressei na faculdade e meu hábito de leitura aumentou consideravelmente, o que me fazia ir constantemente à biblioteca da faculdade, que também possuía uma ala de quadrinhos. Isso me abriu as portas também para os livros e desde então, sigo uma ávida leitora e colecionadora dos produtos Disney.

Com o advento das redes sociais, conheci o grande amigo e colecionador Marcelo Borba, que através do primeiro grupo em aplicativo de mensagens, intitulado Disneyanos (que completa cinco anos neste 2020), expandiu os horizontes e, além de novos amigos, pude conhecer novas obras Disney, as quais passei a colecionar também. Faço parte do grupo e o acompanho desde sua criação e o alcance do grupo nas demais redes sociais também foi incrível até os dias atuais.

Há alguns anos pude finalmente construir num cômodo que desocupei em casa, um pequeno estúdio de música e nele também fiz meu quarto de leitura, no qual tenho organizadas em estantes todo o meu acervo de HQ's, além de quadros do Pato Donald, estatuetas, miniaturas, canecas e afins.

Minhas grandes paixões são as obras de Carl Barks e Don Rosa. Atualmente tenho cerca de 800 volumes entre formatinhos, encadernados, edições de luxo tanto da editora antiga, como a atual Culturama, que com muito capricho e carinho com o colecionador/leitor tem nos enriquecido com um conteúdo de excelente qualidade.

Ainda não encontrei muitas mulheres colecionadoras Disney, de modo que fica aqui o convite para que mais garotas se aventurem por esse mundo tão maravilhoso que é a Disney e todos os seus personagens.

Ter em mãos quadrinhos Disney é sempre uma aventura e um prazer inenarrável. Algo que levarei comigo para sempre!

 

Texto por Cristina Defensor Macedo